domingo, 31 de maio de 2009

CLARICE / HOMERO




Ele: cabelos longos, pele clara, desconhecido.
Ela: cabelos curtos, estrangeira.
Um amor sem defeitos
Caminho com direções opostas
E com saudade
No pensamento / beijos (a)firmados
Lembram duas crianças brincando
Hoje, pintarei com cores raras
teu olhar vazio / sorriso radiante
Um futuro próximo a passos curtos
Clarice somente sente frio
Homero, no calor da distância, perde o tom
Quanto custa ser feliz?
Diz!

[Ana Clara Galvão - março/06]
PS: Em breve, noticias e texto novos sobre o fim de semana No Festival da Mantiqueira ( festival de literatura em São Francisco Xavier ).
E já vou ver as novidades de vocês, mas agora preciso dormir um sono dos Deuses. Alguém sabe fazer massagem? rs

7 comentários:

Val Falcão disse...

Mais um belo texto.....realmente é uma pergunta que acredito ser feita sempre por nós todos...mas será que estamos dispostos a pagar por este preço???
beijos e ótima semana.

wallace disse...

...duas crianças brincando, no corredor lateral da antiga casa, brincando. Brincando de jogo da verdade, duas crianças.... bjs

Bianca disse...

Pois é, muita gente acha que esse 'custar' já dá idéia de dinheiro e aí acha que um dia comprará a felicidade de tal modo. O que dificilmente vemos, é que a felicidade custa simplesmente, a nossa vontade de viver.

Beijos

Lucimar Simon disse...

Qanto vale a vida as Sete da manha? quanto vale a vida na hora do almoço? diga quanto vale a vida?

cada vida tem seu valor...

estima se o valor da vida em torno da intensidade que ela é vivida...
hummmm?

beijos

wallace disse...

o poema do meu blog foi um presente que lhe dei no dia 12 de junho de 2005, está no antigo blog. bjs

Agostinho Lopes disse...

Parabéns!

Tens o dom de provocar "mergulhos" internos, ensimesmados... Tua "claridade" parece refletir também da alma...

rouxinol de Bernardim disse...

Este blog é ele próprio uma massagem ao nosso ego tãso carenciado delas!!!

Brilhante!!!

visite o meu.

www.amarjunqueira.blogspot.com