segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Passou.


Foi naquela tarde que seu coração acelerou. No ritmo da chuva. Ele lembrou dela como a tempos não lembrava. Com aquele vestido rodado e decote provocante. Sentiu uma saudade do seu cheiro, de suas mãos, do seu calor. Hoje, deitado em sua cama, pensa onde ela possa estar. Imagina o próximo encontro e decide seus atos. Ele sabe tudo dela. Ela, não sabe que ele é assim.

.

9 comentários:

Fulvio Ribeiro disse...

Clarinha seu espaço esta cada dia melhor...Parabéns!!!
Gosto muito de passar aqui.
Abraços.

TanyLe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
TanyLe disse...

Olá Ana Clara,

As pessoas só dão valor depois que perdem não é?

Adoro a sensibilidade dos teus textos. Eles são belos (!)

:D

{grande BeejO}

Blogterapia disse...

clarinha
Saudades daqui , e da sensibilidade dos seus textos ...
fiquei tentando imaginar a cena , e penso : será bom ou ruim ela não saber que ele é assim ??
bjussssssss

Mariah disse...

adoro vestido rodado, decote ousado e perfume almiscarado.

ivone fonseca disse...

Talvez ele não saiba tanto dela, pq se soubesse não a deixaria ir...


bj lindona

Levi Noronha disse...

Huuuuuummmmm.. interessante... mas não consegui desvendar... rs...

Beiiijos

Mel disse...

O coração dela devia saber que ele é assim...

... que o próximo encontro seja uma realidade além da imaginação;)

mural do ajosan disse...

Clarinha, gostei muito do seu espaço, é bem diversificado. A respeito deste miniconto: seria um amor platônico dele para ela? Abração e sucesso.