quarta-feira, 28 de outubro de 2009

... depois da cerveja na padaria...


Foi numa noite de sábado que aqueles olhos verdes apareceram novamente. Do meu lado direito permaneceu a maior parte do tempo. A turma era grande no inicio. Mas apenas três andarilhos sobreviveram numa cidade brilhante. Regados a curiosidade, surpresas e muita música. Pareciam se conhecer a tempos. A noite caiu, a Lua subiu e restaram à eles a luz das estrelas e suas mãos querendo se juntar. Hora de partir. Onde eram três, passou a ser dois. (quem sabe ser um) E foi assim. Dois andarilhos voltando ao ponto de partida. De testemunhas tinham a Lua, o taxista e eles mesmos. Dali recordações pra sempre na memória.
'Ela, na timidez é falante. Ele aprendiz de mudo"
.

7 comentários:

Lucimar Simon disse...

Neste momento o que se ouve é o som da paixao, do coraçao, da emoçao e som da boca das cordas vocais é negado ou pouco importa.

pouco importa....

só apenas Beijos...

Hneto disse...

As recordações que ficam são boas companhias, só não podem ser lembranças do que "poderia ter sido".

Aninha *** disse...

Clarinhaaaaa

Cadê vc flor ??????

Preciso dos teus comentários preciosos.... snif, snif

Bjussss

Levi Noronha disse...

Já vi isso antes.. eheuheuheuheuehuehuehuehuehueh.... Imagino como falante.

beijos

Bruna Nunes disse...

essa é umas das melhores sensações que existe.
lindo!
beijos

Mel disse...

Eles se completam;)

Mel disse...

Eles se completam;)