quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Humanidades


Dentro da caixinha ficou a lembrança de uma noite mágica. Chuva, poesia e a Lua compõem o cenário. Rimas e gaita. Filosofia e batucadas colorem o momento e assim seguimos a mesma trilha. O mesmo rumo. Queremos ser apenas nós mesmos. Sem presas ou armas. Apenas ser. Sem culpa. Pode refletir. Não importa a cor dos olhos. O importante é como se vê. E está tudo ali. Naquela caixinha. Quando quiser lembrar, sentir ou até mesmo jogar fora, é só abri-la. Tá?

PS: depois de um pernoite em São Francisco Xavier.

15 comentários:

Lucimar Simon disse...

Ixiiii conheço esta estoria de pernoite emmm... e esse amarelo do texto indica felicidade ne?
que bom, se nao te conhecesse diria que estaria relatando algo dos outros...

beijos e que venha mais pernoites por ai ne?

Ana Paula disse...

Clarinhaaa que saudade de vc, dos seus comentários !!!! Fiquei feliz quando te vi no meu cantinho...

Agora, feliz deve estar vc ao descrever de forma tão brilhante como foi a apresentação, mas posso resumir em poucas palavras que o cenário estava perfeito ( A lua, música e poesias...O paraíso estava ali !!

Bjussss

Renata de Aragão Lopes disse...

Rimas e gaita...
Noite mágica
guardada em uma caixinha...
Que mimo
de lembrança...

Beijo, querida!
E obrigada pela visita
sempre contagiante
no doce de lira! : )

sonjita disse...

OLá Clarinha:

Bonitas palavras. "Não importa a cor dos olhos. O importante é como se vê." ... verdade, pura verdade!!!

beijão

Márcio Kindermann disse...

As caxinhas e seus mistérios.
Qdo quiser lembrar, sentir ou até mesmo jogar fora, é só abri-la.
Abç
MK

Levi Noronha disse...

Adoreeei. Não sabia que Xico Xavier fazia isso com as pessoas. Preciso visitar lá! ehehehhe =)

Http://opensamentocorrente.blogspot.com

Anônimo disse...

Bela,

Sempre que quizer se perder ou se achar dentro dessa caixa estarei por lá! rs...
Sempre que a filosofia for necessária, pareça por lá...
Sempre que a mente confusa tentar bagunçar essa caixa, arrume-a com cuidado!
Não se esqueça dos caminhos, dos olhos, das canções, da paisagem, dos novos amigos, antigos, da gaita e de vc!

Adoro participar desses momentos!
MARAVILHOSAMENTE!
Bjos...
AMOnimo.

Mel disse...

Ah que bom!! Adorei abrir essa caixa encantada!!De certeza teria amado ouvir você declamar poesia;) maravilhosa!!

Pela descrição da noite a gente até fica com arrepio na pele rsrs

Victor Canti disse...

expressou em poucas palavras toda a magia e o momento vivido...
viva SFX!!
adorei o post!!
beijos

ivone fonseca disse...

Adorei a coisa da caixinha, de poder achar, guardar e retirá-la qdo quiser ou só deixar lá... São Xico é magico.. e é lá que montaremos nosso café filosofico né, no anexo da casa cultural... assim cheia de encantos e historias magicas q poderam existir sem medo ou só ficarem guardadas para qdo sentirmos vontade de revê-las..

bj, delicia de texto

ivone fonseca disse...

Ah só um detalhe... me lembrei de amelie polain..

jorge vicente disse...

e eu quero tanto abri-la e ouvir você a declamar a maravilhosa arte que é a Poesia!!!!

saudades... e um beijo
jorge

O Profeta disse...

Troquei as voltas a um Golfinho feliz
Afagei a cria de uma Baleia azul
Confundi uma nuvem com ilha encantada
Perdi-me na rota entre o Norte e o Sul

Aprisionei o olhar de uma gaivota
Enchi a alma com penas de imensa leveza
Enchi o coração de doce maresia
Adormeci nos braços da incerteza

Vem viajar comigo no meu barco de papel


Bom domingo

Doce beijo

Valquíria Falcão disse...

Caixinha de pandora??? acho que é de clarinha....rsrsrsrs...beijos moça e desculpe pela sumida...fica com Deus...

Valquíria Falcão disse...

Caixinha de pandora??? acho que é de clarinha....rsrsrsrs...beijos moça e desculpe pela sumida...fica com Deus...