segunda-feira, 22 de junho de 2009

amanhã quando...



Quando acordar amanhã...
venha comigo
brincar de roda e contar pedrinhas
sentir o cheiro de terra molhada
e limpar a alma num cachoeira...

Quando acordar amanhã...
lembre-se dos meus sorrisos, do meu cheiro
do meu jeito te de olhar
dos momentos em que passamos separados
porque a vida não é só amar...

Quando acordar amanhã...
me dê colo, enxugue minha lágrima e não fale nada
carinho, beijos e cafunés
me receba com flores, bombons e cartões
supresas ainda tem sua graça...

Quando acordar amanhã...
vou estar a sua espera
de braços abertos e com frio na barriga
iluminarei seu caminho
pois você me conquista...

Então...
fica aqui, do meu lado ou na minha lembrança
não fuja assim, com medo.
Eu mordo, mas fraquinho.
Fica vai..
meu colo está aqui te esperando
com uma taça de vinho e o barulho da chuva de fundo
a lareira já esta acesa...
vem...
pra poder acordar comigo amanhã.



PS: Inspirado num texto de Lucimar Simon ( http://lucimarsimon.blogspot.com ), um grande amigo e belíssimo poeta!!!

6 comentários:

Lucimar Simon disse...

Ei otimo texto, li com tanta intensidade que sentir o calor dos teus braços e o estilhaçar da madeira na lareira, o cheiro do lençol ainda esta em minhas narinas e ainda nao conseguir curvar-me em direçao ao criado mudo. rssrsrsr

aceitaria o convite se fosse pra mim... rssrsrsr

grande beijo

MEL disse...

Amei!!!*

† Mσяgαηα † disse...

Lindo *-*

Eduardo disse...

Clarinha!
Só é uma pena pq as vezes o amanhã demora tanto! rsrsrs
Beijos!

ivone fonseca disse...

Tão intenso qto as mulheres de Castro Alves... Adorei

Zenilda Lua disse...

Eu vim Clarinha
e adorei teu canto, tua luz e contos...
Um cheiro doce doce pra ti que é
de flô e poema.