sexta-feira, 8 de abril de 2011

Pequenitudes

foto: Cristiano Caniche



o nada tem tanto...


ele pode ser tão grande


e nos engolir em nossas pequenitudes ao vê-lo,


o nada tem sabor


quase sempre desagradáveis ao nosso paladar,


o nada as vezes é um querer,


outras vezes, uma praga que nos toma,


quase sempre é falta de alguma coisa ou de alguém,


mas muitas vezes é sobra de tanto.


Então ele é só um sentir,


é tanto que gostaríamos que fosse menos,


que a dor fosse menor quanto sua presença no amor,


gostaríamos que ele o "nada" fosse menos


quem sabe um tudo


ou talvez


um NADA.

De Zeroglota para todos nós!


Escute o post apertando o play abaixo


PLAY...rs

4 comentários:

wallace p. disse...

Clarinha... gostei muito da idéia... Bom ouvir alguém falando um poema... Parabéns pela idéia! Acho que dá um outro nível a partir de agora, apra as postagens... bjs!!

Paulo Roberto Wovst Leite disse...

"O NADA TEM SABOR"

BESOS,
PAULO.

.Daisy Serena. disse...

tão lindo....e verdadeiro.

Zenilda Lua disse...

Clarinha

A D O R E I...
mui lindo.
Ouvir-te é sempre doce.

bj'Z