domingo, 3 de maio de 2009

| Márcia - uma história |


Azul era a cor do céu
mas sua luz irradiava toda beleza existente num só corpo.
Sabedoria e garra faziam parte de seu prato principal.
Era a mais velha de todas...
a que veio primeiro...
a que tomava conta.
Mandona e brava
fazia sua fama nessa cidade, que era pequena demais para ela.
Atleta, esportiva viva na geração saúde.
Mas uma minúscula bactéria a pegou. E doente permaneceu por meses.
Sem sentir suas pernas, não deixou de lutar.
Quando atingiu o tronco, perdeu todos os movimentos.
Mas aos poucos, como mágica, o corpo voltou a responder deixando apenas do umbigo pra baixo estático.
Foi assim por meses. Tudo parecia dar certo. Médicos, enfermeiros.
A sua luz foi se apagando aos poucos. Toda exuberância ficou embaixo do travesseiro.
NADA DE VISITAS.
Sua perna era osso. Poucos aguentavam ver ela assim. Fraca.
Mas sempre lutou. Seu marido que era um marido maravilhoso, sempre ao seu lado, inconformado, mas ali.
Estavam prestes a se casarem de novo. No dia do meu aniversário. Mas...
Num dia qualquer daquela luta, ela sussurra para a enfermeira que mais gostava:
- Se for para eu ficar assim pra sempre, prefiro que Ele me leve. Não tenho mais forças.
E na manhã seguinte, Ele atendeu suas preces.

Márcia de Azevedo Chaves - Faleceu no dia 03/05/08. Deixando uma filha formada em medicina, prestes a se casar. Um namorado/marido/amante apaixonado. Uma mãe com uma garra e um força maior do que qualquer outra. Cinco irmãos e treze sobrinhos aos prantos. Milhares de amigos inconsoláveis. E projetos, prédios, monumentos por toda cidade e região.

Hoje
o céu está mais azul do que nunca.
Era a cor que ela mais gostava.
Hoje
os nossos rostos estão mais úmidos
os corações mais apertados
e uma saudade indescritível.

Ela era minha Tia.
.




5 comentários:

ivone disse...

Sabe Clara as vezes olho pra estoria de vcs (da sua familia) e penso quão grd e bela ela se formou, é td tão bem edificado não sobra arestas, vergalhoes ou pedacinhos a serem reformados... Ta td lá, seus avos e o tio orestinho (um grd espetaculo a parte) seus tios e primos tds crescendo ali em volta do "grd esteio" desta estrutura q é sua vó, sabe a Marcia não tinha outra profissao a seguir fazia parte do contexto geral da vida de vcs deixar tudo muito bem projetado, sem arestas.. a familia de vcs é a real metáfora de td isto. E quer saber mais? ela soube exatamente o que deveria fazer por aqui.

Te amo linda e tenho um orgulho imenso de ser sua irma de coração.

wallace disse...

convivi pouco com ela, mas sei que foi uma parte intensa da história, da sua e de todos que estiveram por perto... No fim, Ele (sempre) sabe o que faz. E acredito que sempre faz o melhor. Limpando os olhos úmidos, sacodindo a alma dolorida, damos novos outros passos adiante. Nesse dia, pegue me melhor abraço, meu melhor carinho, todo o calor que posso te dar (enquanto afago teu cabelo) e juntos podemos ficar em silêncio por tanto tempo o quanto for necessário. bj

Zeroglota disse...

Acho que ela continua sendo sua tia.
Nos textos que escreve, com humor ou sentimentos de momentos
de sua intimidade,parece muito com a descrição que fez de sua tia,
então ela esta viva em todos vocês,
e viva azul, o lindo azul!

Comento também sobre sua postagem anterior!

marisol disse...

Hoje 5 anos após ainda sinto muita falta de alguém tão especial, uma espécie de irmã que deixou um vazio e tanto.
Márcia onde estiver você faz muita falta neste mundo com sua garra,energia e vida.
Sua eterna amiga e companheira de sol e praia.
Marisol

marisol disse...

Hoje 5 anos após ainda sinto muita falta de alguém tão especial, uma espécie de irmã que deixou um vazio e tanto.
Márcia onde estiver você faz muita falta neste mundo com sua garra,energia e vida.
Sua eterna amiga e companheira de sol e praia.
Marisol