terça-feira, 2 de dezembro de 2008

| R E S P I R A R |

Ando
Ando
Ando
não canso
olho
olho
olho
não acho
falo
falo
falo
não ouço

ando olhando
corro pra ver
a brisa vem
sinto arder





Caminho procurando algo
não sei o que tanto quero achar

ando entre curvas e retas
procurando me amar

os pássaros me fazem companhia
me dizem coisas ao pé do ouvido

as pessoas vão passando
sinto a brisa indo e vindo



4 comentários:

Relto disse...

eh bom caminhas, faço isso muitas veses a noite para refletir...

Anônimo disse...

Puxa... Fiquei bem triste pelo último texto que vc escreveu (incluindo seu comentário), fiquei triste pelo "furo", pela impotência de (às vezes) não conseguir fazer as coisas da maneira como devem ser feitas. Sinto muito se decepcionei você. Sinto muito se você não me ama mais como antes. Confesso que já não sei mais o que fazer. Tenho feito o que posso, o que está ao meu alcance. Mas... Parece que nunca consigo chegar onde deveria... Já fiquei triste, já desejei muito que as coisas não chegassem onde chegaram. Mas acho que já é tarde. Não sei. Está difícil pra mim, também. Não sei...

Rafael Aleixo disse...

vixxii...nao te intendi muito o post..
mas de boa...

vi vc nos ultimos visitantes do orkut e vi que tinha blog ai entrei e comentei.. rsrsrs

bjo

Victor Canti disse...

um belo poema, bem original, e mais uma vez contemplando nossa bela cidade, vc que tirou a foto..?!
beijos