segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

| CENAS DO COTIDIANO |


Um certo dia, numa banca de jornal, uma cena normal do cotidiano.
Todos os dias Seu João acordava, ia até a padaria, comprava seu pão e passava na banca e comprava seu jornal.
_ Bom dia Dona Ruth ! - exclamava Seu João.
E a dona da banca sempre de cara emburrada, já sabia o que ele queria, deu seu jornal. Nem se quer respondera o cliente.
Seu João então agradeceu dando-lhe um sorriso e saiu.
No dia seguinte a mesma cena se repetia. Mas o ajudante de Dona Ruth ficava encomodado de ver sua patroa ser tão mal-educada com os clientes.
Numa manhã, o ajudante observou Seu João ir até a padaria, comprar seu pão. Chegando a banca, ia interrompê-lo, mas deixou as coisas acontecerem.
_ Bom dia Dona Ruth, me vê aquele jornal ! - exclamou Seu João.
E Dona Ruth, com sua delicadeza, pegou o jornal e o entregou sem ao menos olhá-lo nos olhos.
Seu João deu-lhe o seu melhor sorriso e agradeceu.
O ajudante encomodado foi atrás do tal cliente e o disse:
_ Desculpa, mas Seu joão, por que você insiste em desejar bom dia para Dona Ruth sendo que ela nem ao menos olha pra você? E ainda sorri, agradece e deseja ainda mais que ela tenha um bom dia?
Seu joão olhou-o bem nos olhos e respondeu:
_ Não tenho culpa se o dia dela não começou bem, e nem por isso desejo que seja pior ainda. Eu acordo, compro meu café, meu jornal e o meu dia está ótimo. Vou continuar desejando que os dias das pessoas seja bom. Acredito que no dia que ela acordar e ver o quão o céu está azul e como é bom dar "bom dia" pas pessoas faz bem, o dia dela vai ser maravilhoso. EU FAÇO A MINHA PARTE.
Sem mais, Seu João deu um toque nos ombros do ajudante, desejou que ele tivesse um bom dia e saiu com seu melhor sorriso.



O que quero dizer com isso?

6 comentários:

Paulo Roberto Wovst Leite disse...

Bah!Eu tive uma profª no ginasio que era tipo essa dona Ruth, Dona lucila era o nome dela(aula de matemática), sempre fui cheio de energia,e ela me espancava com suas palavras e se foram 4 anos assim, um dia a encontrei no portão da Palmyra Sant"Anna, estava já no 2°colegial e ao Vê-la fui direto cumprimentá-la com sorriso e tudo mais, mas fui nocauteado pelo seu amargor, o que ela me disse? Não vale a pena relatar-te, mas o desabafo que aqui deixo em forma de comentário, talvez mostre algo.
Que o desamor cresce, sempre existiu e o que nos resta, é ser como e Seu João e o outro João, o Lennon, vamos fazer o amor e não a guerra!
carinho.

Ariane Souza disse...

Que bom que gostou Clarinha!Seja SEMPRE bem -vinda!
Decantarei por aqui tb!HIUHIH!
Bjus e xerus

Rafael Aleixo disse...

Q belezinha de post....

mas o que quer dizer com isso?

AhUHAuAHA

sobre o meu post, são bobeiras que soh um bobo como eu entedenderia.. HAUHUA

Rafael R. Tavolaro disse...

belo post.

concordo que seu dia pode ser bom independente dos humor dos outros, e o melhor, quando estamos felizes, sempre desejamos a felicidade dos outros, seu joão é um cara feliz.

aaa disse...

muito delicada sua escrita, gostei ;)

Eu já fiz um pouco de tudo, mas a faculdade de moda só em 2009.
que bom que você gostou e adiconou. muito obrigada =D

bjs
amanda

Franiky disse...

No hablo portugués, pero intento entenderte y casi lo consigo. Felicidades y gracias por tu visita. Bisou.